De volta

Alguns amigos me perguntaram se cansei de escrever. Obviamente que não! Já tenho até um livro publicado e à venda nas livrarias, portanto, escrever é minha lida.

O que me fez parar de escrever sobre o Avaí foram as situações absurdas que ocorreram em nosso clube, principalmente até o ano passado. Isso me incomodou.

Comecei a escrever efetivamente sobre futebol lá em 2007. Primeiro, comentando em fóruns, depois em blogs, e depois montei meu próprio blog. Nem sei a data disto, porque não faço o tipo de culto à personalidade. Mas é um troço que sempre me agradou, este de discorrer sobre vários assuntos e principalmente sobre o futebol e, mais ainda, sobre o meu Avaí. Destilei minha vontade das escritas sobre o assunto, exatamente, porque gosto disso. É uma de minhas paixões.

Disseram alguns que antes eu escrevia por causa do Zunino, porque ele me pagava para escrever e aí, parei. Obviamente, uma opinião medíocre e tola, de quem não me conhece devidamente e muito menos ao Zunino. E antes que alguém volte a isso, quero dizer que este é meu espaço e é aqui que dou as opiniões que eu quiser. Ok? Fui claro?

Bom, voltando ao assunto, depois alguns insinuaram que eu parei de escrever por causa dos maus resultados do time neste ano.

Eu parei no ano passado, certamente, porque não tolero hipocrisia. Não tinha nada a ver com o futebol praticado e muito menos com os resultados, até porque se isto me incomodasse a este ponto, os resultados, não seria torcedor do Avaí.

O fato real e concreto é que não sou bipolar, e se contestava as iniciativas enquanto era vice, não iria bater palmas para o atual presidente deste clube (clube que aprendi a torcer desde a mais tenra idade) e dizer que estava tudo bem porque o Avaí se classificou para a Série A e, a partir daí, mencionar aos quatro ventos que o vice do amado seria o rei, ou o administrador incontestável. Jamais faria isso.

A história do presidente do Avaí é falsa e chinfrim, um engodo, pois enquanto é tido agora como salvador da pátria, se manteve absurdamente alheio às humilhantes campanhas do Avaí nos últimos três anos, quando ele ainda era o vice, e pouco fez para tirar o clube daquela situação vexatória. Aliás, isso demonstra, pela conjuntura nacional, que devemos escolher muito bem os nossos vices para cargos administrativos. A sanha conspiratória ronda por todos os lados.

Se o titular naquela oportunidade era um poste apagado, ele, o atual, se portou como lamparina queimada. E aí, num belo dia, resolve assumir e dizer que tinha a fórmula do sucesso. Paranéô!

Dessa forma, ainda que profundamente incomodado, deixei de manifestar minha opinião exatamente por respeito ao clube, diferente de oportunistas que ruminavam nos teclados durante a gestão de altos e baixos do Zunino. Nunca pensei “contra o clube” e não iria fazer isso agora.

Agora, volto a comentar aquilo que acho interessante sobre o Avaí, sobre as coisas que o envolvem, porque, de lá para cá, muita coisa passou por baixo da pinguela.

Amanhã tem mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s