Santos nosso de cada dia

Ninguém duvida que Marquinhos Santos seja ídolo. Muito menos que já tenha seu nome gravado na história do Avaí. Mas há quem queira defender essa tese, se agarrar com unhas, dentes e lábios nesta definição, como se fosse necessário provar algo assim para alguém que viva aqui em Florianópolis e conviva com o futebol local. Até os nossos rivais sabem disso, ora.

Aliás, é um assunto tão batido e tão definido, e tão chato também, que fica esquisito a massa de defensores dele saírem em procissão pelas redes sociais contra quem ache um senão contra o camisa 10 da Ressacada. Como na Santa Inquisição, estão prontos a queimar na fogueira quem ache um defeito em Marcos Vicente Santos.

Marquinhos é Santos, mas não é santo. Ele é marrento, catimbeiro e sabe exatamente o que quer do clube, se é que é preciso definir isso.

Mas há quem ache que é obrigatório colocá-lo num pedestal. Deus renascido na Terra depois de Cristo, Alá e Buda.

Curioso é que muita gente que hoje o endeusa, muito palhaço de circo, por sinal, nos tempos do Zunino não criticavam apenas a sua administração, coisa que seria natural, mas saturavam os apelos contra a figura do homem, do cidadão, do pai de família. Apelavam contra a honra e a moral da pessoa, não do presidente, ofendendo e insultando como queriam. Naquela época se podia ofender a alguém, que estava tudo certo? É isso?

Alguns abobados diziam, inclusive, que se defendia o dirigente. Não, o que era pedido era consideração à pessoa, ao ser humano, que foi jogado numa sarjeta. Ganhou-se inimigos, gente tola e ordinária, obviamente.

Agora, quando se pede que Marcos Vicente Santos seja o avaiano que diz ser, que jogue como jogou no último clássico, falando do jogador e não do pai de família, condição no campo que ele tem deixado a desejar desde o segundo semestre de 2013, os mesmos ofensores se arvoram como pregadores do evangelismo marquiniano.

Pois é, continuam sendo tolinhos e ordinários, tentando defender algo sem necessidade, porque, neste caso específico, a honra deste jogador está devidamente preservada e nem poderia ser diferente, a quem interessar possa.

Não existe raivinha, fritura ou falta de consideração, como preferem alguns sem noção donos da verdade. Apenas se quer um pouco mais de garra e disposição. Seria pedir muito?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s