A volta dos que não foram

E começamos bem mal o campeonato. Muito mal.

O jogo desta tarde infernal de domingo, em Ibirama, resumiu-se num frango do Diego, numa falha gritante (várias!) de Pablo e Marcos se escondendo do jogo. Resultado justo. O placar de 2 X 1 para o Atlético foi corretíssimo. Ganhou quem quis jogar, quem foi competente e quem estava disposto. O resto é lenda.

A propósito, repetiu-se o que vimos nas rodadas finais da Série B, de 2013. Um time que até joga, que até cria lances de gols, mas que é derrotado sem esboçar uma reação mais consistente.

Chega-se à conclusão de que Diego tem cometido falhas gritantes e feito defesas sensacionais. Para um goleiro, essa variação exagerada, com muita irregularidade, é fatal.

A zaga falhou também e teve uma grande parcela de responsabilidade?

Sim, muitas vezes e Pablo mostra que tem problemas sérios. É deficiência técnica clara. Mas também falta-lhe uma cobertura mais eficaz às suas deficiências. Se o time tem a dimensão de suas dificuldades, deveria, antes, se armar primeiro para se defender bem. Não é jogar recuado, mas dar condições para que Pablo jogue com mais tranqüilidade.

No meio há excesso de experiência, habilidade e qualidade. Pelo menos no papel. Tudo o que qualquer time de futebol do mundo almeja. Mas, por que não funciona? Discordo da história de que a idade pesa. Óbvio que não. Ocorre que de quem se espera que a grama seja comida, não acontece. Marquinhos Santos, por exemplo, há muito tempo joga com uma mochila cheia de pedras nas costas. Está amarrado e de mal com o mundo, e ainda dependemos de seus passes ou de lampejos raros. Um jogador como ele tem que fazer o jogo fluir e decidir na hora em que as oportunidades surgem. Não é o que vemos.

Ah, claro, se alguém não concorda, lamento, mas ele mesmo oferece essa crítica, quando diz que fará tudo pelo Avaí e que cobrem dele. Pois então, vou cobrar dele e não de Arlan, Pablo ou Diego. Esse Marcos é uma peça nula atualmente no Avaí.

Outro jogador de quem se espera algo a mais e está jogando há muito tempo no nome é Cléber Santana, que ainda assim dá mais de si do que o próprio Galego. Cléber Santana não tem identidade com o Avaí como o homem de Biguaçu, mas por várias vezes o vemos se doando mais, mesmo que esteja muito longe daquele de 2012.

Mas, se for assim, o meio até que joga. O problema é o ataque, então?

Bom, perdemos chances claras de gol que não era necessário ter um matador, como se deseja. Bastava um chute, uma bicanca de quem quer que fosse e a bola entrava. Essa incompetência do ataque já foi vista por diversas vezes.

Quando jogadores comuns começam a dar de calcanhar a toda hora e tentando passe de letra é porque o problema é bem mais sério do que se pensa.

Salários?

Não. Egos inflados, possivelmente. Vi Marquinhos e Betinho brigando porque não foi feito o simples numa jogada decisiva, o que demonstra que falta conversa e sobra personalidades.

Creio que a comissão técnica não deu a devida importância ao jogo. Eu ficaria rouco na beirada do campo, mas exigiria mais compromisso do time. Era o Ibirama, um time cascudo, que precisava ser levado a sério em seu estádio. Quem ganhar deles lá dentro dá um passo importante para ser campeão.

Voltamos a Outubro de 2013 com toda a pompa e circunstância. Como diz meu amigo Murilo Moreira, tem gente que adora desfilar em homenagens, dar discursos inflamados e apenas isso. A temporada mal começou e já me assusta. Nilton Macedo e Chico Lins terão muito trabalho pela frente.

Ah, sim, parece que já estão comprando tinta e pano para fazer uma faixa de FORA NILTON!

Anúncios

3 comentários sobre “A volta dos que não foram

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s