Einstein tinha razão

Jogar uma série B, todos nós sabemos o quanto é difícil. Escapamos por duas vezes de um rebaixamento, quase subimos por três vezes e obtivemos o acesso numa campanha magnífica. Fizemos times fabulosos e outros de dar pena. Já houve jogos na Ressacada em projeção 3-D e merecedores de um Oscar e outros pra esquecer.

E tudo com os recursos contadinhos moeda a moeda, na ponta do lápis.

Visto do lado de fora, o Avaí é um clube igual a muitos no Brasil. E faz times com limitação na média, onde há talentos ocasionais. Não somos os maiores e nem os piores, nem os mais e nem os menos. Porém, para se ter sucesso é preciso ter um plus a mais.

O diferencial, portanto, está na torcida avaiana. É a torcida do Avaí que em momentos decisivos esteve presente e fez a diferença, sim, senhor. Torcida ganha jogo, principalmente aqui na Ressacada.

Ocorre que também é uma boa ouvinte. Ouve demais os críticos e ixpecialistas de plantão, o que a levou a comprar pijamas de várias cores e tamanhos e começar a assistir de casa. E, para disfarçar, começaram as desculpas, que é para não admitr o óbvio.

Culpam os preços dos ingressos, valores que, hoje, são praticados exatamente assim em qualquer lugar do país, com variações para menos onde há subsídios.

Culpam o acesso, coisa que já faz parte da vida da cidade e não há alternativas. Aliás, hoje o acesso está melhorado.

Culpam a qualidade dos jogadores e não podem gastar com mau futebol, com isso. Como se houvesse um Barcelona em cada esquina.

Dizem que não vão gastar com jogos contra São Caetanos e Arapiracas da vida, como se a atração não fosse outra, senão o Avaí.

Ou seja, o HD de meu computador iria atolar de informações pelas desculpas esfarrapadas para não se ir ao estádio.

Há quem não possa ir, é verdade, por diversos motivos, mas na maioria das vezes temos é uma porção de preguiçosos, que exigem muito e não dão nada em troca. E não adianta ficar de biquinho, porque esta é a verdade.

Não adianta, também, encher uma Beira-mar de chorões alucinados, fazer carreatas históricas, que não abandonam o Avaí, se a campanha não for acompanhada desde o início. Pra chegar lá, tem que ver antes. Carne de pescoço serve tanto para se alimentar quanto um filé mignon. Assim como também ninguém lê um livro pelo final.

Einstein tinha razão: o movimento depende do observador. E nossos observadores parecem não querer que a coisa ande.

Use a cabeça, torcedor, como Einstein fazia.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s